O principal ponto fraco da Teoria da Evolução, segundo os criacionistas, é o fato de nunca ter sido encontrado o Elo Perdido. Evidentemente os criacionistas estão corretos: nenhum elo perdido foi encontrado. O que falta então para toda comunidade cética se curvar aos argumentos criacionistas?

 Para começar, faltaria definirmos o que exatamente um criacionista espera por um elo perdido. Uma mistura exata de homem e chimpanzé? Uma mãe chimpanzé segurando seu filho humano? Talvez um criacionista mais bem preparado diria: um fóssil que represente exatamente o momento em que houve a separação da espécie humana e dos chimpanzés.

 Até pouco tempo atrás se definia espécie como um grupo de indivíduos capazes de reproduzir entre si gerando descendentes férteis. Ou seja, duas espécies diferentes não poderiam ser capazes de cruzar entre si. O que levaria o criacionista a concluir que, no momento em que surgiu o primeiro homem, ele não poderia encontrar nenhuma parceira, afinal, só haveria “chimpanzeias”, fato que o levaria a extinção.

 O primeiro ponto importante a ser considerado é que a especiação não ocorre em apenas uma geração e com um único indivíduo. A especiação é um evento que envolve grandes populações, em espaços geográficos extensos e em milhares de gerações. Uma descoberta relativamente recente que nos ajuda a compreender a complexidade deste evento são as espécies em anel.

Imagem

 

Imagem

As duas simpáticas gaivotas acima apresentam diferenças bastante claras. Além disso, elas não cruzam entre si, o que seria suficiente para as classificarmos como duas espécies distintas. Mais curioso, porém, é o fato de que a gaivota prateada (frente) pode cruzar com gaivotas do continente americano, que por sua vez são capazes de cruzar com outras gaivotas, que num ciclo de cruzamentos que dá a volta no pólo norte chega novamente ao norte da Europa com uma espécie capaz de cruzar com a gaivota de asa escura (atrás). Ou seja, as duas espécies distintas de gaivotas apresentam algo como um gradiente interespécies.

 Entre humanos e chimpanzés ocorre algo bastante parecido, porém com uma pequena diferença: as espécies intermediárias estão mortas. Não é necessário apelar para o vasto registro fóssil para evidenciar essa transição; basta observarmos as inúmeras evidências genéticas que já a comprovaria sem a necessidade de qualquer fóssil.

 Uma segunda corrente de argumentos criacionistas é a que afirma que o registro fóssil é incompleto e, portanto, não pode ser considerado como prova da transição.

 Para discutirmos esse argumento, contaremos com a ajuda do Rei Pelé em nosso próximo artigo.

Be Sociable, Share!

10 Comments

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/03. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Jairo Moura
    • Posted 23 de abril de 2010 at 21:47
    • Permalink

    Belo texto. A elegância e o poder de explicação da teoria da evolução são magníficos.

    • Posted 26 de abril de 2010 at 7:50
    • Permalink

    Belo texto bruno, explica de forma clara, simplista a teoria defendida por todo clã ateísta, já li várias discursos que explica de forma tão convinhável quanto a sua a teoria da criação, mas não passam de teorias, (suposição / hipótese), tanto uma quanto a outra. Nossas escolhas não são determinadas plenamente pela razão, imperceptivelmente envolvemos a emoção, crença e interesse naquilo que determinamos acreditar. Logo se alguém cresceu tendo ensinamento cristão não vai aceitar que sua espécie se evoluiu de um primata. E já que nenhuma das duas teorias está 100% evidenciada escolhe-se a que atende seu ego e faz se sentir melhor.

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/03. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Bruno Teixeira
    • Posted 26 de abril de 2010 at 10:04
    • Permalink

    Gê,

    Em primeiro lugar, teoria e hipótese em ciência não possuem o mesmo significado. Expliquei essa diferença em meu post O Problema da Indução e a Falseabilidade (http://deusnagaragem.ateus.net/2010/01/31/o-problema-da-inducao-e-a-falseabilidade/), dê uma lida, creio que vai lhe clarear muito esse conceito.
    Em segundo lugar, dizer que a Teoria da Evolução não está 100% evidenciada, não é algo totalmente incorreto (afinal não existe “100% evidenciado” em ciência), porém, compará-la com a hipótese criacionista é um péssimo exagero, já que, esta está 0% evidenciada. Entre algo com alguma evidência e outro que não possui qualquer evidência, por uma simples questão de honestidade intelectual, deve-se aceitar o que está evidenciado.

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/03. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Victor Alves
    • Posted 26 de abril de 2010 at 13:04
    • Permalink

    Gê, igualar Criacionismo e Evolucionismo é um erro comum, porém imperdoável. Não é razoável equiparar uma fonte de estudo com importantíssimas evidências, que dão suporte extensivo à teoria da evolução. “Apenas uma teoria” por que ninguém, em sã consciência, admite como verdade absoluta qualquer teoria científica. A teoria da gravidade é apenas uma teoria, mas nem por isso ninguém a questiona.

    Por outro lado, o criacionismo baseia-se tão somente no folclore de um povo nômade, que são conhecidos tão somente pelas suas superstições, e não pelos conhecimentos científicos que talvez possuíssem.

    A busca pela verdade está muito além de agradar o ego.

    P.S. A propósito, fui criado em família 100% cristão, e fui eu mesmo cristão fanático até a minha adolescência. Minha família permanece cristã até hoje. Entretanto, o criacionismo não me parece mais plausível do que a existência do coelho da páscoa.

    • Posted 26 de abril de 2010 at 19:18
    • Permalink

    falou galera, tudo bem. Só me explicam como um “folclore de um povo nômade” iria mudar drasticamente a forma com que a GRANDE maioria da população mundial acreditasse nesse folclore? será que o idealizador dele (o folclore) foi tão persuasivo assim. Porque a maior parte da população adere a seguir ou pelo menos admitir o cristianismo? Do nada assim? Ou por acaso todos os cristão são considerados por vocês Ateus como meras criaturas incapazes de raciocinar e de fazer nossas escolhas e por isso aderimos ao que é mais popular?

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/03. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Jairo Moura
    • Posted 26 de abril de 2010 at 21:26
    • Permalink

    Eis um belo capítulo dessa história, Gê: http://deusnagaragem.ateus.net/2010/04/13/draconistarum-i-o-nascimento-do-dragao/

    Caso não tenha paciência, pode procurar em livros de História sobre Concílios do Vaticano ou adoção de imperadores.

    Caso tenha paciência, mais por vir neste mesmo espaço.

    Sobre o grande, cuidado com o Islamismo…

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/03. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Victor Alves
    • Posted 27 de abril de 2010 at 0:00
    • Permalink

    Gê, você acha que essa persuasão foi voluntária? Se os Mouros e Otomanos tivessem dominado a Europa, será que não seríamos mulçumanos agora? Hoje é fácil contestar a religião, mas se você fizesse isso em 1415 iria acabar na fogueira.

    • Posted 27 de abril de 2010 at 6:52
    • Permalink

    (comentário tanbém posto na matéria do vitor indicada pelo Jairo)

    Parabéns Vitor, belo Texto…
    Jairo, isso que você disse é excepcional para todos, e, eu procuro dar muita ênfase nessas passagens históricas, na minha opinião o catolicismo não deveria ser considerada uma religião cristã nem fazer parte do que conhecemos hoje como cristianismo, pois é a mais contraditória entre todas, e a mais vil entre todas se formos analisar seus hábitos com o que está disposto no livro que todos os cristãos procuram seguir (Bíblia). Esse e outros inúmeros textos presentes nos livros de história expõe isso de forma tão Clara e especifica para todos. Eu não defendo “religião” pois como mostra o texto acima até hoje só trouxe sangue guerra etc… por isso não sigo nenhuma, sou portador de uma idéia própria um estilo meu de ser apenas alguém sem vínculos com grupos organizações ou sinônimos. Reconhecendo apenas que Deus existe.
    (Deixei um comentário na matéria “Porque você acredita em Deus” feita pelo Sérgio Rodrigues, que ajuda a entender minha posição no meio do cristianismo.)

  1. Magníco perceber o sentido que tem a vida segudo a evolução!

    • Atena
    • Posted 31 de maio de 2010 at 21:40
    • Permalink

    Gê, vc disse que nenhuma das duas teorias (criac. e evo.) estah 100% evidenciada.

    1) a evolucionista já está comprovada.

    2) é OBVIO que a criacionista é impossivel pq:
    a)deus nao existe
    b)SE existisse, como ele criou BILHOES de especies em SETE DIAS o.O???
    3) a teoria criac. foi desenvolvida por povos primitivos que nao tinham quase nenhum conhecimento cientifico (se é que tinham algum, nao se baseia em literalmente NADA (a nao ser na imaginacao humana).
    a teoria evo. foi desenvolvida por um CIENTISTA e se baseia em evidencias cientificas QUE ESTAO COMPROVADAS.

    bjs,

    PS: sim, eu sou neo-ateista rsrs


3 Trackbacks/Pingbacks

  1. […] genética dentro de uma espécie e a “macroevolução” a especiação propriamente dita. No texto do Bruno ele mostra um caso de “espécies em anel”, que seria o das gaivotas do ártico. Tem ainda […]

  2. […] em Biologia, GeralTagged criacionismo, evolução, Fósseis de Transição, Futebol, PeléEm minha última coluna, falamos sobre a inexistência dos tais “elos perdidos”. Comentamos também que as espécies […]

  3. By Dos fósseis de transição on 16 maio 2011 at 12:37 pm

    […] minha última coluna, falamos sobre a inexistência dos tais “elos perdidos”. Comentamos também que as espécies […]