Umas semanas atrás eu estava conversando sobre evolução com um criacionista. Em um momento do debate, ele alegou que a única evolução que ele considerava verdadeira era a dos pokémons. Claro que ele estava tentando ser irônico, mas como o resto da argumentação dele não estava grandes coisas eu resolvi desistir. Daí então me ocorreu a seguinte pergunta: até que ponto a cultura pop reflete o conhecimento de evolução da população geral?

Xmen, Spore, e Pokémon são exemplos de como a evolução aparece na cultura pop. Obviamente, nenhum desses três exemplos tem a pretensão de ensinar preceitos básicos de biologia a quem quer que seja.

A "verdadeira evolução", segundo alguns criacionistas.

Seria de se esperar que as pessoas enxergassem a evolução de uma maneira muito diferente do que a apresentada pela televisão ou por jogos eletrônicos. O que acontece é que ela não é tão diferente assim. A “evolução” que presenciamos na cultura pop é um reflexo de como ela é vista pela grande massa de leigos não-curiosos. Isso é algo meio preocupante; percebo nas perguntas que me fazem a respeito da teoria neodarwinista e vejo algumas ideias obsoletas encravadas nelas, ideias que podemos encontrar nos Xmen e no Pokémon, por exemplo. Vou falar sobre esses dois mais tarde. Deixarei Spore de fora, pois é um jogo para computador relativamente recente que, ao que parece, aborda a evolução de maneira um pouco mais fiel do que os outros dois exemplos.

Pokémon. Para todos os que nasceram nos anos 90 ou segunda metade dos 80 esses monstrinhos nipônicos certamente são bem familiares. Aos que ainda não conhecem, Pokémon é uma série de jogos que se expandiu para a TV, mangás e virou filmes. Trata de bichos encontrados na natureza que podem ser confinados em pequenas bolas – as pokébolas – que cabem na palma da mão. Esses mesmos bichos estão condenados a serem usados em batalhas que envolvem outros seres de semelhante natureza e situação. Resumindo, a série é uma briga de galo ao melhor estilo otaku. Isso é apresentado para crianças e, posso confirmar, na minha época de pirralho eu achava tudo isso muito divertido. A parte interessante é que esses mesmos bichos evoluem. Depois de muito tempo lutando, um determinado pokémon pode se transformar noutro, maior e mais forte.

Evidentemente que a “evolução” desses monstrinhos serve tão somente para dar uma apimentada no gameplay. Uma “evolução” tão caricata e despretensiosa não tem – ou ao menos não teria – como ser interpretada de outra maneira. O que me espanta é o número de vezes em que eu encontro perguntas semelhantes a esta: “se a evolução existe, como é que eu nunca vi um peixe se transformando em um anfíbio?”. Devo dizer que já fiquei muito tempo imaginando de onde diabos o sujeito tirou que um peixe deveria se transformar em um anfíbio. A única resposta que me veio em mente foi Pokémon. Fora as variantes dessa pergunta, como sapos se transformando em passarinhos, macacos em humanos e demais metamorfoses impossíveis. Não existe absolutamente nada dentro da teoria evolucionista dizendo que um indivíduo de certa espécie deveria se transformar noutra. Outro conceito presente dentro dos pokémons é que uma evolução sempre é melhor que a sua antecessora. Ao passo que imaginar a evolução como uma metamorfose de uma espécie em outra é um erro tacanho cometido apenas por uma “elite” de alienados, supor que ela é uma força geradora de seres progressivamente mais complexos é um erro comum. Essa ideia de evolução e progresso é quase onipresente na cultura pop não sendo exclusiva dos pokémons.

E então temos os Xmen. Um número bem maior de gerações está familiarizado com esses senhores. Além da ideia, muito comum, de que evolução traz sempre alguma melhoria, os Xmen trabalham com o mito da evolução do homem (e da mulher também). A humanidade ficou muito tempo sendo apenas humana e, segundo os quadrinhos, chegou a hora de evoluir. E que evolução! Uns evoluem para seres com poderes psíquicos, outros controlam o ferro e temos ainda os que emitem raios pelos olhos. E todas essas mutações maravilhosas acontecem no mesmo bendito gene, o tal do “gene x”. Pois bem, isso são apenas detalhes. Da mesma maneira que os pokémons evoluem da maneira deles, os Xmen assim o fazem apenas para servir de entretenimento e não devem ser levados a sério. Bom, mas assim como o exemplo anterior, aqui reflete a maneira que o grande público vê a evolução. Nesse caso, mais especificamente, a evolução humana. “Quando vamos evoluir?”, já li perguntarem. Ou então: “Se nós somos seres-humanos, por que os macacos já não evoluíram para humanos também?”. Essas são perguntas que eu realmente leio na internet. Algumas vezes, os autores dessas perguntas acham que encontraram uma falha grotesca na teoria, quando deveriam supor falta de estudo (o que é o caso). Acontece que evolução não é uma obrigação mas sim uma consequência. São linhagens de indivíduos, populações, que se dividem em mais linhagens. Cada conjunto de indivíduos vai sofrer pressões seletivas diferentes se adaptando de acordo com elas, e então temos a evolução. Ela não vai bater na porta de sua casa e dizer: “Chegou a hora de evoluir”.

É muito estranho, mas parece que um europeu em pleno século XIX teria mais facilidade de compreender a teoria do que um leigo alienado de nossa época. Vimos como a evolução aparece na cultura pop. Vimos também como muitas perguntas a respeito da teoria evolutiva feitas pelo público leigo se assemelham muito mais à “evolução” encontrada em desenhos, filmes e jogos do que com a teoria propriamente dita. Hoje nós vivemos em uma época na qual a aquisição de informação é fácil (chega a ser conhecida como a “era da comunicação”). Mas então, como tantas pessoas estão tão desinformadas quanto a certas teorias? Bom, para começar, a informação está em todo o lugar, mas só quem quer encontrá-la usufruirá dela. A grande maioria das pessoas não possui tanto interesse assim no que a teoria evolutiva diz ou deixa de dizer, o que já é um problema, principalmente para a miríade de críticos que certamente não leram nenhuma obra cientifica relacionada ao tema.

Na época de Darwin, praticamente toda a população estava envolvida com algum tipo de criação, desde cereais até pombos (animais que Darwin utilizou para embasar a seleção natural, na Origem das Espécies). Todo mundo tinha muito mais contato com a natureza e não era difícil perceber como a seleção artificial afetava intensamente a constituição dos seres vivos trabalhados. Darwin expandiu a ideia bem fundamentada de seleção artificial para a natureza sem influência antrópica e por isso foi tão eloquente. Hoje muitas pessoas compram um frango no supermercado sem ter a menor ideia de todo o processo de criação que levou uma ave silvestre a se tornar um animal doméstico com o passar das gerações. Comemos milho sem conhecer a sua longa história como cereal que tem o seu início com os Maias e Astecas. Vivemos na ilusão de que somos melhor informados a respeito do mundo graças aos avanços da comunicação, mas o que vejo é uma multidão indo em direção contrária.

Be Sociable, Share!

26 Comments

    • Emerson
    • Posted 30 de junho de 2010 at 12:20
    • Permalink

    Já ouvi muitas dessas perguntas, más nunca tinha percebido ligação nenhuma com a cultura pop.
    Acho que poucas pessoas entendem como a evolução realmente funciona (eu não sou uma delas), más com um pouco de educação e uma glogleada aque e outra lá vc pode descobrir como ela NÂO funciona e que a teoria tenta explicar fatos não fictícios.

    Anyway, ri do “a série é uma briga de galo ao melhor estilo otaku”.

  1. Muito bom Eduardo, achei engraçada a comparação e a forma como você a escreveu, me tirou boas risadas. Principalmente com a cena “Ela não vai bater na porta de sua casa e dizer: ‘Chegou a hora de evoluir'”

    • Rubens
    • Posted 1 de julho de 2010 at 16:25
    • Permalink

    Parabéns Eduardo !!!

    Excelente idéia a de mostrar que o senso comum é construído por vários “angulos” e dificilmente as pessoas procuram as respsotas, sem contar o estilo articulado e jocoso.

    • Posted 1 de julho de 2010 at 16:52
    • Permalink

    Eduardo, então seria correto dizer que a população que abita na áfrica é negra pois a pele negra absorve mais os raios solares dando a ela uma característica de resistência mais elevada que as outras?
    E se tiver cerco, porque os habitantes de locais gelados e cobertos de neve, os esquimós e outros, não adquiriram por si só uma couraça mais grossa ou espessa em pelos longos para se protegerem do frio? Se a resposta foi porque eles evoluíram mentalmente e faziam uso de pele de animais. Então porque os africanos não faziam o mesmo para reter o sol forte?
    Ou talvez uma pequena minoria de esquimós tenha conseguido essa evolução e tenha se transformado no Abominável homem das neves!!!!!!!!

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Eduardo Bitencourt
    • Posted 1 de julho de 2010 at 17:12
    • Permalink

    Gê. Pra começar, eu não entendi muito como a sua pergunta se relaciona com o meu texto.

    Mas acontece que cada um adapta do jeito que melhor convir. A evolução pode se dar comportamentalmente, morfologicamente ou metabolicamente.

    Bom, na verdade os esquimós possuem adaptações morfológicas. Povos que vivem em lugares mais frios tendem a ser mais atarracados e encorpados, ao passo que povos africanos tendem a ser mais longilíneos.

    • Sodom
    • Posted 2 de julho de 2010 at 13:39
    • Permalink

    Gê, foi pelo acaso.

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Victor Alves
    • Posted 2 de julho de 2010 at 14:37
    • Permalink

    Claro que não Gê, somos todos descendentes de Adão e Eva. Estranhamente eles geraram filhos de todas as colorações e morfologias…

    • Posted 4 de julho de 2010 at 12:17
    • Permalink

    não foi estranhamente bruno. o porque eu não sei mas, faço minha as suas palavras entre fica em duvida e ter uma provavel serteza eu prefiro ficar em duvida.
    quém sabe os chipanzés que originaram esse povo não completaram totalmente seu ciclo evolutivo.
    se chamarmos um asiatico de macaco ele tira por menos mas se for um negro ele te processa.

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Victor Alves
    • Posted 4 de julho de 2010 at 14:38
    • Permalink

    Mas Gê, nos não evoluímos de chimpanzés…

    • Posted 4 de julho de 2010 at 17:49
    • Permalink

    Concordo plenamente!!!

    Genesis 1 – 26, 27
    Eclesiastes 7 – 29
    Efésios 4 – 24
    Colossenses 3 – 10

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Eduardo Bitencourt
    • Posted 4 de julho de 2010 at 18:59
    • Permalink

    Isso é meio engraçado. Mas o Gê acabou de escrever o preview do que será o meu quinto e último texto da série.
    Isso já nos dá uma dimensão do quanto a evolução é erroneamente interpretada. Nem mesmo os comentários de nossos textos escapam delas.

    Mas antes, por curiosidade. Em qual lugar você leu que os humanos evoluíram de chimpanzés? Foi em algum livro didático de evolução?

    • Posted 4 de julho de 2010 at 19:14
    • Permalink

    Eduardo, chipannzé… foi um termo para generalizar a classe hominída da qual afirma os evolucionistas que originou o Homo sapiens.

    “Os cientistas estimam que os seres humanos ramificaram-se de seu ancestral comum com os chimpanzés – o único outro hominins vivo – há cerca de 5-7 milhões anos atrás”

    trexo do texto:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Evolu%C3%A7%C3%A3o_humana

    OBS: só uma duvida, os comentários aceitam tag HTML ?

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Eduardo Bitencourt
    • Posted 4 de julho de 2010 at 19:18
    • Permalink

    Bom, Gê, neste caso você está utilizando um termo completamente inadequado. Chinpanzé corresponde a outra espécie, não ancestral do Homo sapiens.

    • Posted 4 de julho de 2010 at 19:29
    • Permalink

    isso é irrelevante, tendo em vista que são todos primatas, para o que eu quero dizer!!

    • Red Guy 32
    • Posted 5 de julho de 2010 at 13:55
    • Permalink

    Hoje em dia existem muito mais evolucionistas do que criacionistas. Sendo assim, não acreditar na teoria da evolução não significa falta de conhecimento. Se fossem apenas os religiosos que refutassem o evolucionismo, eu até te daria razão, Bitencourt. Mas não é o caso. Desde que Darwin publicou “A Origem das Especies”, esse livro foi atacado por diversos cientistas por conter omissões fatais. E o continua sendo até os dias de hoje.

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Victor Alves
    • Posted 5 de julho de 2010 at 14:40
    • Permalink

    Red Guy 32, agora fiquei curioso. Você poderia me dar um exemplo de um cientista contemporâneo SÉRIO que refute a teoria de Darwin?

    A teoria de Darwin, desde a sua publicação, sempre foi criticada. E isso é ótimo, é a beleza da ciência. Se não fosse criticada, ela seria um dogma, coias que pertence ao campo religioso.

    Ninguém prega ser pecado criticar Darwin…talvez você vire motivo de piada, mas nada além disso. Agora se você criticar as baboseiras do gênesis bíblico, você estará se condenando ao inferno.

    P.s. Entenda por “sério” também não ser um fundamentalista religioso.

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Eduardo Bitencourt
    • Posted 5 de julho de 2010 at 16:24
    • Permalink

    O Red Guy comete o erro clássico de resumir a teoria evolutiva à Origem das Espécies.
    Depois de publicado, o livro dividiu o público entre os que defendiam a teoria e os que a atacavam. E foram ataques grandes tanto em número quanto qualidade. Na verdade, os ataques foram tão bons que a teoria foi engavetada.

    Foi com geneticistas do calibre de Fisher, Hamilton e Haldane que a teoria revigorou. Hoje o que temos é melhor conhecido como neodarwinismo e é uma teoria MUITO mais encorpada do que a idéia original de Darwin.

    Mantenho a pergunta do Victor. Que cientistas são esses?

    • Red Guy 32
    • Posted 8 de julho de 2010 at 12:04
    • Permalink

    Vou dizer apenas um nome, mas ele é a porta para muitos outros. Se vocês estão tão desatualizados em relação ao “neodarwinismo” que não conhecem seus críticos a ponto de dizer que nenhum cientista “sério” rejeitaria a evolução (isso sim é que é dogmatismo), então não vale a pena discutir.

    O nome é Francis Sellers Collins, o diretor do projeto Genoma Humano.

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Eduardo Bitencourt
    • Posted 8 de julho de 2010 at 12:11
    • Permalink

    Bom, não vale a pena discutir mesmo, pois Francis Collins não rejeita a evolução. Essa sua afirmação só prova que toda a sua fonte de conhecimento sobre o tema provém de sítios criacionistas tendenciosos.

    Collins é algo que podemos chamar de evolucionista teísta. Ele acredita que os seres vivos surgiram exatamente da mesma maneira como está descrita pelo neodarwinismo, com uma adição. Segundo ele, os mecanismos da evolução são obras de Deus.

    É interessante você pesquisar o que as pessoas realmente disseram antes de sair escrevendo que “estamos desatualizados”.

    • Red Guy 32
    • Posted 8 de julho de 2010 at 13:08
    • Permalink

    Collins acredita no jardim do Éden literalmente. Isso é ser evolucionista? Enfim…

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Eduardo Bitencourt
    • Posted 8 de julho de 2010 at 14:54
    • Permalink

    Cara… me diz o que que o jardim do Éden tem a ver com evolução.

    Não leu o que eu escrevi? Ele é um evolucionista TEÍSTA. Não existe nada afirmando que um evolucionista deva ser ateu. Portanto, ele acredita que as espécies evoluem seguindo um padrão neodarwinista e TAMBÉM possui fé religiosa.

    Você é apenas mais um dos muitos que associam evolução com ateísmo e criacionismo com teísmo.

    Eu só acho que, para alguém que conhece tão pouco do assunto, seria de bom tom não chegar por aqui chamando todo mundo de desatualizado e/ou dogmático.

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Victor Alves
    • Posted 8 de julho de 2010 at 15:43
    • Permalink

    Então Red Guy 32…como eu disse, cientistas sérios…não fundamentalistas religiosos.
    Francis Collins tem a mesma postura de C.S. Lewis… “eu sei que é nonsense, mas se a bíblia diz, eu acredito.”
    Quando tira sua bata, seu conhecimento científico dá lugar a irracionalidade da crença.

    Entretanto, Francis Collins NÃO nega a evolução, ao contrário ele acha que “deus utilizou da evolução para atingir seu objetivo”.

    It’s also now been possible to compare our DNA with that of many other species. The evidence supporting the idea that all living things are descended from a common ancestor is truly overwhelming.

    I would not necessarily wish that to be so, as a Bible-believing Christian. But it is so. It does not serve faith well to try to deny that.

    But I have no difficulty putting that together with what I believe as a Christian because I believe that God had a plan to create creatures with whom he could have fellowship, in whom he could inspire [the] moral law, in whom he could infuse the soul, and who he would give free will as a gift for us to make decisions about our own behavior, a gift which we oftentimes utilize to do the wrong thing.

    I believe God used the mechanism of evolution to achieve that goal. And while that may seem to us who are limited by this axis of time as a very long, drawn-out process, it wasn’t long and drawn-out to God. And it wasn’t random to God.

    Até ai, nenhuma novidade…já que até o papa reconheceu a evolução como mais aceita. http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL761923-5603,00.html

    • Red Guy 32
    • Posted 10 de julho de 2010 at 0:04
    • Permalink

    Collins afirmou que acredita no jardim do Éden literalmente e na “cobra falante”. O jardim do Éden refuta a evolução sim, pois afirma que o homem tem uma origem mineral (Gênesis 2;7) e não animal. Pode ser que ele tenha mudado de opinião ao longo da vida, mas isso não invalida minhas afirmações.

    Dizer que “até o papa reconheceu a evolução” não é um argumento válido, me desculpe.

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Eduardo Bitencourt
    • Posted 10 de julho de 2010 at 1:22
    • Permalink

    Sabe, acho que uma coisa que falta em muitos criacionistas é perceber quando um debate está perdido.

    Mas tudo bem, Red Guy. Vai lá. O cara acredita em jardins do Éden. É um cristão. Mas perceba, um cristão com a fé dele não consegue ignorar as evidências que corroboram a teoria evolutiva.

    Quanto à aceitação da evolução por parte do papa não foi utilizado como argumento, mas sim como curiosidade. Até porque, com citações tão exclarecedoras do próprio Collins, duvido que o Victor precisaria evocar o papa para defender suas idéias. Uma coisa não dá para negar: se mesmo a igreja católica, em toda a sua influência política, teve que ceder e declarar a teoria evolutiva como aceitável, é porque a mesma não é tão fraca como muitos criacionistas gostariam que fosse.

    No mais, as citações do Collins não apenas invalidaram as suas afirmações como o fizeram categoricamente. COmo eu disse desde o começo, ele é um evolucionista teísta, ponto final.

    • Red Guy 32
    • Posted 15 de julho de 2010 at 17:41
    • Permalink

    Se a evolução comportar uma cobra falante, então sou evolucionista também. Pelo menos ela comporta que toda a raça humana surgiu de um casal inicial, o que já é muito bom.

    (Debate perdido….Isso não é nem um debate e sim comentários de um texto)

    • Error: Não foi possível criar o diretório uploads/2017/06. O diretório pai possui permissão de escrita?
      Eduardo Bitencourt
    • Posted 15 de julho de 2010 at 20:38
    • Permalink

    É, Redguy. Cobras falantes…
    Mas daí não seria uma teoria, e sim uma fábula.

    E outra. É evidente que você estava debatendo conosco, sendo que o a sua postagem se referia à nossa e não ao conteúdo do texto.