Pesquisadores da Universidade de Waterloo, no Canadá, disponibilizaram recentemente resultados preliminares de um estudo no qual 2563 ateus, agnósticos, humanistas, livre-pensadores e céticos responderam a um questionário pela internet.

Uma das primeiras informações interessantes é que apenas 25% dos não-crentes se autointitulam como ateus. Talvez essa tendência ocorra pelo fato de que a palavra “ateu” remeta a um sentimento de preconceito largamente arraigado na sociedade. Algo como: “tudo bem não acreditar em Deus, mas ser ateu é demais”.

Aproximadamente 30% dos respondentes teve consolidado o pensamento não-crente entre 16 e 20 anos.

O estudo também verificou que ateus são fortemente antiteístas e antirreligiosos, reportando, inclusive, atitudes hostis para com a religião e espiritualidade. Por exemplo, mais de 90% dos ateus entrevistados concordam que a religião se opõe ao progresso e às mudanças sociais. Agnósticos, por outro lado, tendem a ser menos hostis, possuindo uma tendência maior a serem indiferentes e, em alguns casos, até simpáticos com a religiosidade.

Os pesquisadores separaram as questões morais em dois tipos: Valores Individualizantes (igualdade, justiça, bondade e autonomia pessoal) e Valores de Ligação e Pureza (lealdade, pureza e respeito pela autoridade e tradição). Os ateus possuem forte tendência a respeitar os valores individualizantes, porém uma forte tendência a rejeitar os valores de ligação e pureza.

Obviamente, houve uma forte correlação negativa entre o ateísmo e a crença em vida após a morte. Entretanto, o que surpreende neste estudo é o fato de que 1,4% dos ateus afirmaram possuir alguma crença em vida após a morte e em espíritos; mas ainda mais surpreendente é o fato de esse número chegar a 29,2% para os outros não-crentes.

Este estudo demonstra uma forte diferença no modo de pensar entre ateus, agnósticos e outros descrentes. Fica bastante evidente que os ateus são mais confiantes e sentem ter tido algum benefício com sua descrença. Segundo os autores, essa confiança e sentimento de ganho foram especialmente fortes entre ateus e podem refletir a aceitação de uma visão coerente de mundo, possivelmente uma com base científica.

Ao final, o estudo separa aqueles que se autodenominaram ateus, agnósticos e ateus-agnósticos, para descobrir que as atitudes dos ateus-agnósticos são intermediárias aos outros dois. Quando falamos de Atitudes Antirreligiosas e espiritualidade, os ateus-agnósticos situam-se mais próximos dos ateus. No quesito confiança em seu sistema de crença, os ateus-agnósticos ficam exatamente entre os que se declaram somente ateus ou somente agnósticos.

O estudo completo está disponível aqui.

Be Sociable, Share!

6 Comments

  1. Obrigado pelo artigo Teixeira. Muito bom entender um pouco mais da situação dos não-crentes. Nosso amigo Dostoiévski, que tanto temia os ateus, iria gostar dessa pesquisa. hehe

    Abraço,

    • Flavio da Silva
    • Posted 8 de outubro de 2010 at 23:56
    • Permalink

    Obaaaa! eu participei dessa pesquisa, e finalmente houve uma boa explicação :)

    • Antonio Porto
    • Posted 11 de outubro de 2010 at 11:53
    • Permalink

    Em outras palavras: uma pequena divisão no armário.
    Não só existem várias religiões, como existem vários tipos de ateísmo.

    • rubens
    • Posted 18 de outubro de 2010 at 16:06
    • Permalink

    Antonio Porto,

    Sim, com a explicita diferença que ateísmo não é uma isntituição criada há milenios e embasada em seres primitivos e imorais.

    • david bennet
    • Posted 17 de novembro de 2010 at 20:58
    • Permalink

    Caro Bruno,
    Em tudo isto podemos observar uma única realidade dentre todas as classes:quando procuramos uma comprovação lógica da figura deste contraditório ser, este deus é impossível de existir.

  2. Antonio Porto, Sim, com a explicita diferença que ateísmo não é uma isntituição criada há milenios e embasada em seres primitivos e imorais.


One Trackback/Pingback

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Guilherme Reis and Nênia Blue, André Cancian. André Cancian said: [garagem] Além da descrença: Uma pesquisa sobre os descrentes, de Bruno Teixeira http://bit.ly/b5L0Zc […]